• CRM Motorsport

Super Seven by Toyo Tires estreou-se no histórico circuito de Monza!


Depois de duas corridas em Spa e Barcelona, o troféu Super Seven by Toyo Tires estreou-se no autódromo nacional de Monza, para a penúltima etapa deste programa europeu.


No fim de semana de 29 e 30 de Outubro, a emblemática pista italiana recebeu a aguerrida competição monomarca que trouxe consigo um impressionante total de 55 carros e 58 pilotos, incluindo 32 pilotos de equipas britânicas.


Parte integrante do calendário europeu da competição apoiada pela Toyo Tires, Fuchs, Auditiv, Apple of Eden, Gupe e GC24, o rapidíssimo Circuito de Monza celebra em 2022 o seu centenário. Numa pista caracterizada pelas suas duas rectas extremamente longas, interrompidas por chicanes e curvas lentas, os 55 Caterham viram aqui as suas capacidades serem postas à prova. No “templo da velocidade”, cada volta é percorrida em 5.793 km utilizando todo o potencial do Caterham Super Seven. Palco de exibições inesqueciveis na Fórmula 1, teria de ser também palco do troféu mais competitivo do “planeta”, Super Seven by Toyo Tires.


Um novo recorde no Super Seven by Toyo Tires

Um feito assinalável na estreia do Super Seven by Toyo Tires foi a quantidade de inscritos no fim-de-semana, nas 3 categorias de 420R, 420R Gentleman e 320R, traduzindo um novo recorde desta temporada.


Programa de fim-de-semana preenchido


Repartido por dois dias, o programa desportivo do fim-de-semana contou com uma sessão de treinos cronometrados e duas corridas de vinte e cinco minutos, onde não faltaram emoções fortes. As corridas foram transmitidas por livestreaming, partilhado no canal de Youtube e nas redes da CRM Motorsport.


De destacar a nomeação de Nuno Santos, um dos pilotos mais antigos desta competição, como Comissário Desportivo de todo o fim-de-semana: “Este é um momento pedagógico para todos, onde me incluo, e os pilotos estão de parabéns por terem cumprido as recomendações.” afirma.


Qualificação


Depois do treino livre de 40 minutos de Sábado, onde os pilotos tiveram oportunidade de ajustar diferentes set-up’s para o fim-de-semana, confirmou-se pelos tempos registados de que mais uma vez se viria a assistir a corridas titânicas, como já é habitual. Num circuito caracterizado pela enorme força de travagem necessária, após cada recta onde os carros atingem a velocidade máxima por 3 vezes a cada volta.


A qualificação de 30 minutos começou cerca de 12 minutos depois da hora prevista e com sol radiante no autódromo nacional de Monza. A definição da grelha de partida para a primeira corrida seria definida através da volta mais rápida, já para a corrida 2, através da 2ª volta mais rápida. Logo no início da prova, o carro 46 do piloto Nélson Gomes parou devido a problemas técnicos desencadeando uma bandeira encarnada, mas regressou pouco depois, assegurando os tempos necessários para a corrida 1 e 2.


Esta prova ao cronometro foi extremamente renhida, com os primeiros 16 carros a registarem intervalos até 1 segundo, e várias trocas de posição na disputa pela pole position, deixando os espectadores ansiosos pelas corridas de sábado à tarde e domingo.


Na categoria 420R destaque para José Carlos Pires da Speedy Motorsport, campeão em título, que fez a pole position com 2:07,202, o melhor tempo registado do fim-de-semana, seguido por Bernardo Bello da CRM Motorsport e Diogo Costa do Team Nuorte a escassos milésimos de segundo. Para a corrida 2, Pires volta a registar o melhor crono, mas desta vez, seguido de Nuno Afonso da Atomic-Mageltech e de Bernardo Bello.


Guilherme Dal Maso com 2:08,101 (10º da geral), da CRM Motorsport levou o Caterham Super Seven à primeira posição na categoria 420R Gentleman, André Matos da BCM Sports, foi segundo. A fechar o “podium” desta qualificação esteve José Kol de Almeida da BCM Sports.


Para a categoria 320R o tempo mais rápido da qualificação foi o de Gonçalo Nobre da Veiga da CRM Motorsport com 2:17,450. Tendo passado por uma fase de aprendizagem, o piloto realça o espirito de camaradagem entre portugueses e ingleses, com quem tido excelentes experiencias., referindo ainda que a corrida em Monza é para si o ponto alto da época. O segundo registo mais rápido foi para Paulo Santos, piloto melhor classificado no campeonato, da equipa Formula F. Miguel Ferreira foi 3º. O piloto, que até esta época só tinha competido em karts, afirma estar a ter uma época “espectacular, perto dos primeiros!”.


1ª Corrida


A primeira corrida do fim de semana teve início ao o pôr-do-sol, com uma partida exemplar em clima de festa. Logo na primeira volta, vários dos 54 carros em pista bloquearam as rodas dianteiras na entrada para a curva 1, uma evidência da alta velocidade deste circuito e da disputa pelas melhores posições, logo nos primeiros metros da corrida, com nota máxima em matéria de desportivismo, já que todos passaram sem qualquer incidente pela estreita chicane que obriga a engrenar primeira velocidade, realçou Tiago Raposo Magalhães da CRM Motorsport.


Na categoria 420R, o primeiro lugar do podium foi disputado até ao último metro, com intervalos muito pequenos no primeiro pelotão composto por 8 carros, onde seguiam Bernardo Bello, José Carlos Pires, Nuno Afonso, Diogo Tavares, Gonçalo Lobo do Vale, Lourenço Monteiro, J.J. Magalhães e Danny Kileen. Logo atrás e muito perto vem o segundo pelotão liderado por Diogo Costa, Luís Calheiros Ferreira, Guilherme dal Maso, Justin Amstrong, Tomás Guedes, André Correia e Luís Maria Lisboa que se juntam mais tarde ao 1º pelotão, perfazendo assim um total de 15 Caterham’s a formar um comboio perfeito na disputa pela liderança, que também teve o seu momento quente na penúltima volta quando Lourenço Monteiro bate da traseira de Bernardo Bello, retirando-os da possibilidade de pisarem um lugar no pódio. A corrida continuou muito intensa e quem levou a melhor, acabou por ser Diogo Tavares, que fez assim uma corrida brilhante, depois de ter partido na 6ª posição. A fechar o pódio, ficou Nuno Afonso e Gonçalo Lobo do Vale, ambos passaram também pela liderança da corrida, tal como Bernardo Bello e José Carlos Pires. Foram por isso 5 líderes diferentes em mais uma corrida imprópria para cardíacos.


Já na 420R Gentleman, Guilherme dal Maso confirmou que já está pronto para subir à 420R (Pro), uma vez que esteve mais presente nessa luta e fez ainda a volta mais rápida desta corrida com a marca de 2:07,635. Na segunda posição ficou Ricardo Pedrosa mas seguido de muito perto por André Matos que fechou assim o pódio. Ambos os pilotos estavam com um sorriso de orelha a orelha, após uma disputa intensa com mais 2 pilotos Britânicos, Gary Tootell e Mark Drain a quem fizeram questão de parabenizar pela forma exemplar de fairplay com que trocaram posições ao longo dos 25 minutos de corrida.


Na 320R e não menos quente, Miguel Silva Ferreira levou na melhor a 1ª contenda, seguido de muito perto por Paulo Santos, Gonçalo Nobre da Veiga Dominic Geary, que fez equipa com Luis Filipe Oliveira da CRM Racing School.


Todos os pilotos estão de parabéns, tendo proporcionado um espetáculo impagável, com a magia que as corridas Super Seven já habituaram os seus seguidores e a atestar isso mesmo comprovam os 4,9 segundos que separam o 1º e o 14º classificado à bandeirada de xadrez!


2ª Corrida


A segunda prova voltou a começar da melhor forma, com os pilotos a cumprirem o espaçamento certo para o carro da frente e também ao seu lado de tal forma que mais parecia um desenho a régua e esquadro, assim como o pace de pre-partida definido em 45Km/h. Um conjunto de medidas que vieram comprovar que as novas regras implementadas foram um sucesso, posto em prática pelos pilotos que protagonizaram assim mais uma corrida ao nível que este Troféu já nos habituou.


Após o cair do semáforo encarnado, todos aceleraram a fundo em direção à primeira chicane na discussão dessa travagem e mais uma vez fizeram passar os 54 Caterham Super Seven, pelo “buraco da agulha” já que chegaram todos a mais de 200Km/h e viram-se obrigados a reduzir a velocidade para a curva mais lenta do circuito.


Daí para a frente e começando pela 420R, protagonizaram mais uma corrida ao rubro, onde José Carlos Pires começou por liderar os primeiros metros, mas viu-se obrigado a ceder a liderança ainda antes de terminar a primeira volta e ao longo de toda a corrida por troca com Nuno Afonso, Gonçalo Lobo do Vale, Bernardo Bello e Diogo Tavares, que largou da 12º posição, isto é o Super Seven by Toyo Tires. Imediatamente atrás destes, seguiam igualmente colados Justin Amstrong, Danny Killen, João Aguiar-Branco, jovem piloto que vem do Kia Gt Cup, J.J. Magalhães, Luís Calheiros Ferreira, Lourenço Monteiro, sobrinho de Tiago Monteiro e que também deu os primeiros passos no Kia Gt cup, Diogo Costa, Guilherme dal Maso, outro jovem piloto que vem do Kia Gt Cup, André Correia e Tom Hayman-Joyce. Pelotão de 14 Pilotos que mais pareciam um carro único sem fim, tal era a proximidade com que disputaram os lugares do pódio. Logo atrás deste pelotão seguia ainda Paulo Costa que fez uma corrida notável e digna de destaque. Nota ainda para Nelson Gomes que teve mais uma vez uma excelente prestação e evolução ao volante do Caterham Super Seven, mas precisa de melhor sorte que certamente chegará para materializar resultados a condizer com a sua prestação.

No Final, quem levou a melhor foi mesmo José Carlos Pires, seguido de Gonçalo Lobo do Vale e Diogo Travares que encerrou assim os lugares do pódio.


Na categoria 420R Gentleman, o vencedor foi novamente Guilherme dal Maso, mas desta vez seguido de André Matos e de Ricardo Pedrosa que inverteram as posições relativamente à 1ª corrida. José Kol de Almeida foi o 4ª classificado desta categoria.


Na 320R a competitividade esteve novamente de por os cabelos em pé, ao ponto de termos assistido a novos lugares no pódio, desta vez com Gonçalo Nobre da Veiga a levar a melhor sobre todos os outros adversários, Luís Filipe Oliveira da CRM Racing School foi segundo, sendo caso para dizer que o Aluno (Gonçalo) suplantou o professor. Miguel Silva Ferreira foi terceiro, fechando assim o pódio e Paulo Santos foi 4º.


A corrida terminou com um safety car já a menos de 2 minutos do fim, após um toque entre 2 pilotos britânicos que deixaram 2 guarda lamas na travagem de Ascari. Por motivos de segurança o diretor de corrida decidiu dar entrada de Safety Car, que ainda assim, não retirou qualquer espetáculo à grande corrida que todos puderam assistir. Desta vez a melhor volta em pista, foi de Diogo Tavares com o tempo de 2:07:521.


Tiago Raposo de Magalhães faz o balanço “Viemos a mais um dos melhores palcos mundiais do Automobilismo, confirmando a evolução na só quantitativa, mas também qualitativa deste projeto, já na sua 14ª temporada, onde os pilotos são um dos ingredientes principais a par com este carro tão especial que é o Caterham Super Seven. Ambos fazem um binómio inexplicável e que só ao vivo e a cores podemos sentir na pele as vibrações desta corridas tão especiais. É por isso um privilégio, poder continuar a assistir a este crescimento avassalador ano após ano, onde para além das melhores corridas também somamos as melhores pistas do planeta!”


Equipas e pilotos preparam agora o desfecho do campeonato no Circuito Estoril no fim-de-semana de 18 a 20 de Novembro, que irá acabar na maior festa Caterham da Europa e conta já com mais de 100 inscritos. Vem aí o Caterham Festival, que reunirá Caterham’s dos 3 maiores Campeonatos do Mundo, Inglaterra, França e Portugal.


As corridas de Sábado e Domingo foram transmitidas via live-streaming no canal de YouTube da CRM Motorsport e nas redes sociais (facebook e instagram) do Super Seven by Toyo Tires (@supersevenbytoyotires). Todas as informações a respeito desta prova podem ser consultadas em www.crm-motorsport.com.


Calendário Super Seven by Toyo Tires 2022

08-10 de Abril — Estoril

14-15 de Maio — Jarama

23-26 de Junho —Spa-Francorchamps*

30-31 de Julho — Portimão

09-10 de Setembro — Barcelona*

29-30 de Outubro — Monza*

18-20 de Novembro — Estoril


*Prova extra-campeonato

225 views0 comments

Recent Posts

See All