• CRM Motorsport

Super Seven by Toyo Tires deslumbra no Circuito do Estoril!

  • J. J. Magalhães, José Carlos Pires, Nuno Afonso, Diogo Tavares, Nélson Gomes, Fernando Cordeiro e Francisco Figueiredo deram corpo a um fim-de-semana memorável com 7 vencedores distintos

  • Gonçalo Lobo do Vale, José Kol Almeida, Paulo Leitão, Ivo Prada e Luís Filipe Oliveira subiram ao pódio

  • José Supico e Paulo Nunes surpreenderam na estreia na categoria 275R




Estoril, 11 de Julho de 2021 – Foi com uma das maiores grelhas do seu percurso, duas qualificações recheadas de surpresas e quatro corridas de encher o peito que o Super Seven by Toyo Tires se despediu da primeira de duas visitas ao Circuito do Estoril — palco da 3ª ronda de uma temporada que tem tudo para ficar na história!


Ainda no sábado e após duas sessões de treinos cronometrados em que Bernardo Bello (2º nos Cronos 1) e Nuno Afonso (1º Cronos 2) obtiveram a melhor classificação do ano (José Carlos Pires fez a pole para a Corrida 1 nos 420R Pro, enquanto Fernando Cordeiro na Gentleman e Francisco Figueiredo na 275R realizaram a volta mais rápida nas duas sessões), os pilotos enfrentaram a 1ª corrida do programa desportivo com a garra e determinação habituais.




CORRIDA 1

No arranque, Pires manteve o comando e Bello a 2ª posição, mas J. J. Magalhães vinha focado em não perder a liderança de vista. Ainda nos 420R, assistimos a uma das mais intensas batalhas da nova categoria Gentleman, com três candidatos ao triunfo em Fernando Cordeiro, Nélson Gomes e José Kol Almeida, enquanto na S1600 o regressado Paulo Leitão aparentava que nunca tinha estado ausente da competição, tal a réplica dada a Francisco Figueiredo. Na mesma classe, o rookie José Supico divertia-se como nunca numa luta com Ivo Prada, Paulo Duarte e Vincent Labedan.


Na frente da corrida, J. J. fez o que havia anunciado e passou para o comando na 3ª volta, relegando José Carlos Pires para o 2º lugar, ao passo que Diogo Tavares subia ao 3º posto depois de ter arrancado do 9º lugar da grelha! Gonçalo Lobo do Vale era 4º, Bernardo Bello caía para 5º, na dianteira de Nuno Afonso, e este por sua vez procurava suster os ataques de Paulo Macedo.





As trocas de posição sucediam-se em cada instante, mas no final foi mesmo J. J. Magalhães a cruzar em 1º a linha da meta, depois de uma batalha extenuante com Gonçalo Lobo do Vale. Pires fechou o pódio, na frente de Tavares e Nuno Afonso, com estes cinco pilotos separados por 5 segundos e os 7 primeiros (já com Paulo Macedo, 6º, e António Nunes Almeida, 7º, neste grupo) isolados por 4,5 segundos. No 8º lugar, o atual campeão da 275R Bernardo Bello somou a melhor corrida desde que subiu de categoria, superando Luís Calheiros Ferreira por apenas 42 milésimos de segundo, cabendo a Duarte Lisboa a honra de fechar o top 10 — mais uma posição super concorrida, pois André Correia terminou a 90 milésimos do piloto do Teaam Nuuorte (Lisboa)!





Atrás deste lote de pilotos classificaram-se ainda Diogo Sousa, Daniel González-Vallinas e Bruno Martins, enquanto David Saraiva, Nuno Pires, Nélson Gomes e Tiago Sousa acabaram por não concluir a corrida.




Na Gentleman, Fernando Cordeiro somou mais um triunfo de uma temporada de estreia notável, à frente de José Kol Almeida e Fernando Costa — piloto que subiu pela 1ª vez ao pódio este ano. Já Francisco Figueiredo somou também ele mais uma vitória na 275R, apesar da excelente oposição de Paulo Leitão. No 3º posto, Ivo Prada, à frente do surpreendente José Supico (terminou a dois décimos do pódio), Rodrigo Nunes Almeida, Vincent Labedan, Luís Seguro, Dominic Geary, Paulo Duarte e Filipe Graça.





CORRIDA 2

Apesar de sair na frente, Nuno Afonso não iniciou o Domingo do seu aniversário de forma feliz. Perdeu a liderança no arranque e logo no início da segunda volta da corrida acabou por pisar a gravilha na travagem para a curva 1, levando-o a perder o controlo do carro e a cair muitas posições até eventualmente optar pela retirada.





Na frente do pelotão seguia Sérgio Saraiva, muito pressionado pelo colega de equipa na Speedy Motorsport, José Carlos Pires, ao passo que Lobo do Vale e Tavares deixavam patente a sua fome por vitórias. Colados a este grupo, Ricardo Rajani e J. J. Magalhães seguiam num confronto animado e o mesmo sucedia com Paulo Macedo (chegou a rodar em 5º e colado a Sérgio Saraiva) e Lourenço Monteiro.





A meio da corrida, Lobo do Vale tinha já passado pelo comando, Diogo Tavares feito o mesmo e José Carlos Pires idem aspas, deixando novamente em aberto a luta pelo triunfo. O piloto da Auto Restelo (Tavares) saiu muito bem na última curva da última volta, mas acabaria por ter de se contentar com o 2º posto a meros 37 milésimos de segundo de José Carlos Pires. Foi por um triz, como em todas as corridas do Super Seven by Toyo Tires. Numa palavra: fan-tás-ti-co!





Novamente no pódio, Gonçalo Lobo do Vale terminou a menos de dois décimos da vitória, seguido de perto por J. J. Magalhães e Sérgio Saraiva. Lourenço Monteiro terminou no 6º lugar e com isso festejou o melhor resultado do ano, à frente de Paulo Macedo e André Correia — duo que também recorreu ao photo-finish, concluindo esta corrida com meros 38 milésimos de segundo entre ambos. Bernardo Bello classificou-se em 9º, a dois décimos de Correia, prolongando a senda de resultados positivos, ao passo que Luís Calheiros Ferreira somou mais um top 10, após uma luta interessante com Daniel González-Vallinas, Ricardo Rajani, Duarte Lisboa e António Nunes Almeida.





Na Gentleman, presenciou-se um maravilhoso confronto entre Nélson Gomes (1º), José Kol Almeida (2º) e Fernando Cordeiro (3º) — pilotos que nunca descolaram uns dos outros e trocaram, por diversas vezes, de posição ao longo da corrida. Já no grupo da 275R, novo triunfo para Francisco Figueiredo, na frente de Luís Filipe Oliveira e de Ivo Prada, que deixou Vincent Labedan de fora do pódio por apenas 1 décimo de segundo. Atrás destes pilotos, classificaram-se Rodrigo Nunes Almeida, José Supico, Luís Seguro, o rookie Paulo Nunes e Frederico Brion Sanches.









O piloto da BS Motorsport (Brion Sanches) chegou a rodar no pódio, imiscuindo-se num grupo de pilotos separados por 6 décimos de segundo, mas algumas contrariedades no seu carro arredaram-no dessa luta pelos lugares da frente.





CORRIDA 3

Após mais uma impressionante batalha com cerca de uma dezena de candidatos com possibilidade de vencer a corrida, o dia acabaria mesmo por sorrir de feição ao aniversariante Nuno Afonso. Novamente com um andamento muito rápido, o piloto da Atomic-Mageltech festejou a primeira vitória do ano e da sua carreira nos 420R.




Um triunfo inteiramente merecido dada a evolução registada particularmente nesta temporada, mas com alguma fortuna à mistura, pois beneficiou do facto da corrida ter sido interrompida quando faltavam dois minutos para a sua conclusão. Um pião de Luís Seguro na curva do tanque originou um toque com José Supico e motivou a introdução do safety-car para retirada dos carros.




Com óleo na pista, a Direção de Prova acabaria por acenar com a bandeira vermelha e dar por concluída a corrida num momento em que Diogo Tavares ocupava o 1º posto, aplicando-se assim a classificação da volta anterior na qual o líder era... Nuno Afonso!





Mais um exemplo de que nas corridas do Super Seven by Toyo Tires todos os segundos contam e que as trocas de posição entre os pilotos surgem a um ritmo frenético!





Até esse momento havia-se assistido a mais uma grande corrida, com diversas ultrapassagens entre J. J. Magalhães, Gonçalo Lobo do Vale, José Carlos Pires, André Correia e Paulo Macedo. Prova disso é o facto de os seis primeiros rodarem separados por 1,5 segundos na 8ª volta que viria a ser declarada como a última após o incidente referido. O pódio da 420R Pro foi assim assegurado por Nuno Afonso, Diogo Tavares e J. J. Magalhães, na frente de Gonçalo Lobo do Vale, José Carlos Pires, André Correia, Paulo Macedo, António Nunes Almeida, Luís Calheiros Ferreira, Bernardo Bello, Nuno Pires, David Saraiva, Duarte Lisboa, Diogo Sousa e Bruno Martins.





Na Gentleman, Nélson Gomes repetiu o resultado da corrida anterior, superando, desta feita, Fernando Cordeiro e José Kol Almeida, com estes dois pilotos a inverterem posições. Fernando Costa encerrou a classe e demonstrou estar cada vez mais à entrosado com o carro, beneficiando também do trabalho realizado nos bastidores pelo antigo campeão Ricardo Megre, ao passo que na 275R Francisco Figueiredo concluiu a corrida à frente de Paulo Leitão, Ivo Prada, Vincent Labedan, Rodrigo Nunes Almeida, Frederico Brion Sanches, Paulo Nunes, José Supico e Luís Seguro.


CORRIDA 4

Num fim-de-semana repleto de competitividade em todas as categorias, foi já no final da tarde que decorreu o derradeiro confronto do programa desportivo. Um desfecho que não podia ter sido melhor, ao registar-se o 4º vencedor diferente em 4 corridas da 420R Pro e um total de sete (como o número mágico da competição) ao longo dos dois dias da prova!




No arranque, Gonçalo Lobo do Vale suplantou José Carlos Pires para assumir o comando, com J. J. Magalhães muito próximo e Diogo Tavares num jogo de paciência que o conduziu à mesma posição no início da 5ª volta.


A cinco minutos do fim da prova, Gonçalo Lobo do Vale assume o primeiro posto, mas o assunto estava longe de estar arrumado. Todos queriam vencer, como exemplifica a classificação final desta corrida, com os sete primeiros classificados a surgirem separados por meros 1,5 segundos!






No final e novamente ao photo-finish, o triunfo foi mesmo para Diogo Tavares, que cruzou a linha da meta com 1 décimo de vantagem para J. J. Magalhães e 0,4s para José Carlos Pires. Às portas do pódio ficou Nuno Afonso, que realizou a volta mais rápida da corrida à 8ª passagem pela linha da meta, seguido de perto por Gonçalo Lobo do Vale, Sérgio Saraiva e Paulo Macedo — pilotos que voltaram a contribuir para um espetáculo deslumbrante da competição promovida pela CRM Motorsport.




Sempre no lote dos mais rápidos, António Nunes Almeida conseguiu defender-se dos ataques de Bernardo Bello, ao passo que Ricardo Rajani celebrou um merecido top 10 depois de uma batalha muito animada com André Correia, Luís Calheiros Ferreira e Lourenço Monteiro. A fechar a classificação dos 420R Pro terminaram Diogo Sousa, Duarte Lisboa e Daniel González-Vallinas, com o piloto espanhol a ser forçado a abandonar a duas voltas do fim da corrida.


Na 420R Gentleman, Fernando Cordeiro celebrou a segunda vitória do fim-de-semana, superando José Kol Almeida, que está cada vez mais como peixe na água nesta categoria, e ainda Ricardo Pedrosa — piloto que fez a sua estreia no pódio logo na segunda corrida nesta competição. Desta feita, Nélson Gomes teve de se contentar com o 4º posto num fim-de-semana globalmente muito positivo.





Positiva foi também a prestação de Francisco Figueiredo, que somou 4 triunfos em 4 corridas, apesar da forte oposição dos seus adversários. Desta feita, coube a Ivo Prada subir ao 2º lugar, enquanto Paulo Leitão se despediu com mais um pódio para a memória, travando uma luta fantástica com o piloto da Prada Cars.






Atrás destes pilotos, Vincent Labedan, Frederico Brion Sanches, Luís Seguro e o campeão nacional de jet ski Paulo Nunes encerraram a classificação reservada à categoria 275R, com o mais recente membro da família Super Seven (Nunes) a não esconder a felicidade no rosto com esta sua estreia na competição.





Para Tiago Raposo Magalhães, o balanço da visita ao Circuito do Estoril não podia ser mais positivo: “Tivemos 7 vencedores distintos, o que deve estar muito próximo de ser um recorde, 5 pilotos no pódio, corridas decididas ao milésimo de segundo e competição reforçada em todas as categorias do Super Seven by Toyo Tires. Mas acima de tudo quatro fantásticas corridas em que o fair-play esteve sempre presente, provando que os argumentos que tornam o nosso campeonato tão especial permanecem intactos à medida que ele cresce ano após ano”, começou por referir.


“É também devido a esse espírito e ambiente únicos que quem por aqui passou regressa novamente e sente-se imediatamente em casa, como sucedeu este fim-de-semana com o Paulo Leitão, e do mesmo modo que os novos pilotos se conseguem integrar tão facilmente, sendo notável a evolução ao volante registada pelo Paulo Duarte e o impacto tão forte deixado pelo José Supico e o Paulo Nunes, em conjunto com o Luís Seguro, o Ivo Prada, o Ricardo Pedrosa, o Lourenço Monteiro, o Diogo Sousa e o próprio Vincent Labedan. A todos, sem excepção, o meu muito obrigado em nome da CRM Motorsport!”





Concluída esta terceira prova da temporada 2021, as emoções do Super Seven by Toyo Tires regressam entre 6 e 7 de Novembro no Circuito de Jerez. Como habitualmente, todas as informações a respeito desta prova poderão ser consultadas nas redes sociais (facebook e instagram) do Super Seven by Toyo Tires (@supersevenbytoyotires).



Comunicado em formato pdf

Resultados


326 views0 comments